Página de Walter Eudes

27/01/2010

Um novo mundo possível?

Filed under: 1 — waltereudes @ 04:31

Adentramos no terceiro milênio com fortes indícios a um novo prisma da vida humana. Talvez coisas já esboçadas por exceções de indivíduos durante toda a história da humanidade, por Cristo, por Buda, Moisés, Francisco de Assis, Gandhi, Madre Tereza, tantos outros e outras, mas não somente num aspecto espiritual-religioso: um Freud, um Markx, um Einstein, um Da Vinci, um Sócatres… Gentes que em vida fizeram uma guinada pra melhor no mundo, uns conhecemos suas biografias, outros nem tomamos ciência de sua passagem na Terra, mas deixaram sim suas vivências. Do novo mundo falado vem uma radical releitura da condição humana. É tema presente, que se inspira em sucessos e insucessos do passado à construir um futuro radiante à raça humana. Que mundo é esse? É ainda tímido os visionários e visionárias deste tempo que se aproxima. Passa por uma readaptação da humanidade em todos os sentidos na Terra. Um rompimento as vezes radical com conceitos fincados e vivos de épocas caducas ou extintas, épocas que nos deixaram entropias indigestíveis. Ora, não há como não assumir diariamente por exemplo, a problemática da degradação da natureza do planeta, a ecologia, sem modismos, sem charmes, sem pura especulação econômica… É um mundo novo que se pergunta mais do espírito humano, de sua alma, sua dimensão pós-morte, pós-carne. Um tempo que se é mais solidário que competitivo, onde a caridade é virtude natural e constante. Onde a criatividade é mais intensa que a imitação. Ademais, onde a coletividade tem mais força que o individual, onde o poder é mais recusado que almejado. Muito, mas muito mesmo que se convencionou a ser tomado por postulados verídicos, até mesmo eternos, estão em ótima condição de serem revistos. É momento próprio para se questionar e se re-organizar sobre o papel do ser humano assim na terra como no céu.  W. E. Jan/2010

Anúncios

19/01/2010

Águas de Oxalá

Filed under: 1 — waltereudes @ 10:20

Ocorreu neste sábado 16 um evento religioso, cultural e científico em que não se há registros de um outro na cidade de Limoeiro: um encontro de religiosos, simpatizantes, estudiosos e curiosos das religiões afro-brasileiras e de matrizes africanas. Antes marcado para ser realizado no Centro Cultural MVV, o evento foi transferido de véspera para o auditório da FACAL por conta da Sec. de Cultura e Juventude errar e marcar dois eventos para o mesmo dia e hora e no mesmo local. Sem prejuízo maiores ao evento, a FACAL abrigou durante todo o dia palestrantes e público a refletir e discutir sobre questões ligadas a religiosidade afro-descendente. Num exemplo de tolerância à diversidade e pluralidade religiosa brasileira estavam presentes até mesmo pastores evangélicos protestantes e judeus. O público em maioria de terreiros limoeirenses teve oportunidade de vivenciar um salto importante neste campo religioso e cultural: a abordagem científica, antropológica, sociológica, jurídica das ditas religiosidades.

No domingo 17 houve momento religioso que iniciou com reunião de terreiros da cidade de Limoeiro e de outros centros urbanos. Desenvolveu-se toda a tarde com cânticos, evocações a entidades, danças no interior da sede social do Colombo, localizado no centro da cidade. Ao fim da tarde os participantes em número aproximado de quase uma centena, sempre acompanhados de muitos curiosos, percorreu a pé e aos sons envolventes e incessante dos atabaques algumas ruas que separam o centro da cidade do terreiro do babalorixá que tomou iniciativa do evento. O orixá em pauta é OXALÁ, que foi sentido em momento ápice e comovente de todo evento por volta das 19hs da cidade em plena via pública, de forma devotada pelos participantes e respeitosa pelos curiosos e adimiradores.

De valia a todos os limoeirenses, este novo capítulo em nossa realidade tem o poderoso e carismático empenho do jovem babalorixá  Emanuel, Pai Alabyi, cidadão limoeirense que não mediu esforços em concretizar o evento.

foto: Walter Eudes

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.