Página de Walter Eudes

31/01/2011

ÁGUAS DE OXALÁ 2011

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 14:34

Foi no domingo, dia 16 de janeiro que emanou na cidade de Limoeiro-PE, atabaques e agogôs, cantos e rezas à Orixás por um mundo melhor; mundo mais liberto da intolerância à diversidade. Pois ocorreu de forma magistral o II Águas de Oxalá. Evento aberto ao público, com massiva participação dos adeptos do Candomblé, teve presença de representações de várias cidades pernambucanas. Transcorreu com muita naturalidade, muita paz e alegria os momentos cerimoniais realizados no Clube Centro Limoeirense (Rua Vigário Pinto 739, centro). Após apresentação de capoeira de grupo local, iniciou-se os trabalhos religiosos…Primeiro a EXU e subsequentemente a diversos Orixás entoou-se cantos sagrados, quase sempre em Iorubá, criando uma atmosfera de espiritualismo profundo, terno e amoroso. Após duas horas de ritos em recinto fechado, exercitados coletivamente por diversos adeptos e observado por muita gente, tem saída a procissão pelas ruas da cidade até o bairro do Ponto Certo, onde reside e trabalha o Pai Alabyi. No percurso, uma parada em frente ao mais antigo Terreiro de Candomblé de Limoeiro, na Rua da Alegria, o popularmente conhecido Terreiro de D. Maria do Carmo. Uma comoção geral instaurou-se ao testemunhar-se a forte energia do local, resultando em dança, canto e fé a Iemanjá, tendo uma Babalorixá Ialorixá da região metropolitana do Recife, septuagenária evoluído uma dança afra-brasileira com humildade profunda, dignidade imensa e beleza indescritível.

No ponto de apoteose do evento houve vários ritos a diversos orixás, sendo a reverência principal a Oxalá, o primeiro deles a ser cultuado. Ainda houve apresentação de Afoxé ao encerramento.

Este Águas de Oxalá vem a ser um exemplo de que é preciso mais diálogo entre as religiões através de cada indivíduo em suas profecias particulares. Mesmo sendo de base no Candomblé, o evento à Oxalá é aberto a qualquer pessoa que veja interesse no trabalho, que queira se aproximar mais com a cultura afro-descendente em suas raízes mais puras. De uma organização mui responsável e profissional (na pessoa do Pai Alabyi e seus filhos e filhas), é oportunidade de se vencer preconceitos vários ainda estabelecidos num povo, numa cultura, num país que já não cabe tais preconceitos. Por mais errônea que tenha sida a formação e a informação das pessoas sobre a afro-descendência, haverá em momentos como este uma chance à tolerância. Pois este é o objetivo de Alabyi: tocar os corações das pessoas para aceitar a diversidade em vez de persegui-la, censura-la ou reprimi-la. É uma luta que no Brasil vem ocorrendo desde sua formação há quase 500 anos. É uma luta que vem sendo travada em todo o mundo, onde neste momento centenas de pessoas de diversas e diversas formações culturais (inclusive as orientais) estão sendo obrigadas a manterem-se em silêncio e reclusos(as) ante suas diversidades ancestrais que quase sempre nada mais são formas diferentes de querer o bem estar coletivo da humanidade, a vida plena e o amor fraterno. AXÉ!

Walter Eudes

Trecho da Procissão

Ritos iniciais

ritos iniciais

Pai Alabyi

Anúncios

CULTURA SURDA NO AGRESTE SETENTRIONAL

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 14:13

05 de dezembro de 2010. Passeata em Limoeiro, combate ao preconceito, uma defesa da cultura surda. Dezenas de pessoas nas ruas, caminhando. Organizado pela APDL. Muitos surdos de cidades diferentes – Surubim, Recife, Paudalho, Lagoa do Carro, etc. Ainda precisa muita gente romper preconceito. Surdo trabalha, estuda, ama, sonha… VIVE!!! Em todo Pernambuco, Brasil, ainda existe muitos surdos sofrendo de exclusão.

Ewerton Carlos (limoeirense/ na foto, no alto, camisa branca / comunicando em libras para grupo) foi um dos coordenadores Ele é instrutor de Libras na cidade

Ewerton (no alto) faz comunicação em Libras a grupo

texto e fotos: Walter Eudes

 

Final da passeata (Pça da Bandeira)

 

09/01/2011

DEFINIÇÃO DE RÁDIO E TV – proposta de verbete

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 04:21

PROPOSTA DE VERBETE PUBLICADA DO WIKPEDIA EM 08/01/11  as 15:40 (horário de Brasília)

Rádio e Televisão são os veículos de comunicação de massa eletrônicos de maior abrangência de público em todo o planeta. Surgidos ainda na era das revoluções industriais são fruto de inúmeras pesquisas tecnológicas de vários cientistas espalhados por todo o mundo, resultado da combinação de diversas descobertas eletrônicas que formaram um circuito fechado de recepção e emissão, culminando em uma transmissão via aérea e livre de sons e imagens ou somente sons, a partir de uma estação transmissora sendo estes sinais recebidos a distâncias mensuráveis em aparelhos receptores. Entre muitos os cientistas pioneiros do rádio e TV está Hertz que identificou a possibilidade de transmissão de sinais pelo espaço aberto e é seu nome que ainda hoje referencia as ondas de rádio MHz – mega-hertz / KHz – quilohertz. O histórico da tecnologia do rádio e da TV é extensíssimo, parte ao certo das primeiras perceptivas científicas para encontrar a energia elétrica, a invenção dos aparelhos amplificadores de áudio (microfones), os aparelhos de armazenamento e reprodução de áudio (discos – fitas magnéticas), as tecnologias de geração/reprodução dos sinais que desdobraram em formas outras das originais (UHF/VHF/FM). Mas ambos os aparelhos, ambos os media (TV e rádio) partem de um mesmo aspecto estrutural: são meios de comunicação que requerem no mínimo uma estação produtora/geradora de conteúdo e outra (outras) receptoras, que são estas os aparelhos de rádio e TV propriamente dito – aqueles que praticamente todos nós possuímos em nosso dia-a-dia. Ante ao “encantamento”, praticidade e utilidade da novidade do início do século XX, muitos foram os investimentos de praticamente todas as sociedades e economias do planeta para o ampliamento da malha radiofônica e televisiva, especialmente como forma de informação e entretenimento(neste aspecto, a economia, o comércio e o mercado de consumo passa a regular o funcionamento, sedimentação e ampliação destes sistemas de mídia). Muitos setores sociais passam a utilizarem-se também da tecnologia para fins específicos, em especial com o rádio, comunicações institucionais são realizadas rotineiramente – esta é uma das mais práticas formas de comunicação à distância em meados do século XX, também em seus inícios… o rádio é largamente usado nos conflitos bélicos europeus/mundiais (1a e 2a guerras mundiais), sendo dos principais instrumentos tecnológicos em combate. Mas com a crescente demanda de público ouvinte e telespectador, vai mesmo vigorar e estabelecer-se em primazia o modelo “comercial” da TV e do Rádio. Estes mass mídias passam a serem de extrema utilização de público em geral, tornando-se uma das áreas de maior interesse econômico/político/cultural de alguns países; podendo estes meios de comunicação mobilizar a opinião pública de uma forma decisiva para mesmo mudar os rumos da histórica de uma grande coletividade, também arruinar ou erguer pessoas individualmente em seus campos profissionais/pessoais. Com a estabilização do rádio e TV como forma decisiva de comunicação de massa, como reconhecido espaço de “poder” numa sociedade, governos/sociedade/população de todo o mundo passam a procurar adequar melhor os fins destas mídias e esforçam-se ora a terem mais controle participação nelas (e assim ter mais poderes na sociedade) ou esforçam-se par fragmentar seu poder, ou seja, redireciona-los para o espectador, para a coletividade que o utiliza. Nos fins do século XX e início do século XXI sedimenta-se um conceito decisivo para a história destes veículos: a “democratização das mídias” – entende-se que é quase que insuperável o poder de influência ao público destes meios, então que objetiva-se cada vez mais pela democratização, discutir e ampliar as possibilidades de quem é o emissor, ou os emissores. Reflete-se de quem teria o direito de ser emissor da programação de rádio e TV e percebe-se que qualquer pessoa, em condições mínimas pode o sê-lo!! Nenhuma área social, nenhuma área científica, nenhuma religião, nenhuma ideologia, em fim, nenhuma forma ou prisma de atuar no mundo hoje pode ignorar a mídia, toma-la como débil, fútil e que em nenhum momento com ela necessite dialogar… e esta mídia referida é o Rádio e a TV. Ambas estão inseridas dentro do conjunto maior de mass mídia que também vai englobar, o audiovisual como um todo (compreendendo o cinema e vídeo), a imprensa escrita(jornais e revistas), ainda a internet. As fronteiras destes campos são muitas vezes reduzidíssimas, confundem-se e se intercambiam, as vezes formam um só conjunto de notícias, lazer, cultura, formação, informação. Com o advento da internet, repetiu-se uma perceptiva comum no histórico das mídias: assim como o surgimento da TV derrocaria o cinema e o rádio, assim como o surgimento do vídeo-cassete derrocaria a TV e o Cinema, a internet derrocaria a TV. Parece já haver adequação de toda a mídia com a internet, passam a serem parceiros em vários momentos sem que haja supremacia e aniquilamento de um para como o outro, havendo sim momento de oscilação de qual veículo está em primazia para com o outro. Mas é certo: sempre está em exercício a comunicação de massa, de grande público. O rádio e a TV são formas de comunicação em si, mas podem ser apenas instrumentos opacos de outros campos da vida humana que não seja a comunicação, podem mesmo até serem esquecidos quando os ouvimos/vemos e nos transportamos para o conteúdo que veiculam, servem assim, e não são raras as vezes, de mero veículo para muitos, muitos campos do viver humano.

Blog no WordPress.com.