Página de Walter Eudes

28/06/2012

Foto-mensagem

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 17:29

Foto-mensagem

de Walter Eudes

26/06/2012

DA NATUREZA E SEUS (DES)CUIDADOS (pequeno ensaio fotográfico/textual pelos ecos da RIO+20)

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 04:33

Quem quizer que perca tempo em querer me enganar…
é possível muito bem! equilíbrio no viver, com fartura e saúde
Arrepare oh! cidadão, o que espera em meu quintal…
nem dou conta do que tem, não quer vir me ajudar?
chupar manga sem a pressa que tu tens todos os dias…
a fazer esse mundo piorar a cada instante!
Esqueça um pouco do moderno, do fabril e inventado…
Arrepare ao seu redor, veja a intensa natureza, lhe chamando
para a vida!!

Deste céu, tão límpido e intenso
Deste solo tão farto e vigoroso
surgirá sempre e sempre
uma esperança pra toda gente que há
de harmonia de tudo que é vida.
Bicho, gente, planta e água;
ar e terra, do chão ou do céu,
haverá bom tempo neste mundo
tão sofrido que insiste
em clarões de equilíbrio.

Dessa ECO de agora, se mais 20 ou tantos quantos
ofereço a batalha de buscar a natureza,
esta flor pra comprovar, que fazer a vida seguir
requer mais ação de cada um que planejar um documento
plante tu uma flor assim, regue e faça-la crescer
plante dez, cem e mil
toda planta que puder
e farás a tua parte pro planeta se salvar

Chegará tempo desses, do anúncio da natureza
água muita vinda do céu.
Fará a ira de uns tantos,
que já faziam os seus planos sórdidos
de trocar a confiança, a força e honradez
de muita gente por um pouco dágua.

Como queres evoluir? se não queres o sofrimento?
a lerdeza um certo tempo pra depois o transformar…
talvez tudo esteja, muito bem entrelaçado
e quem sabe somos nós meros seres temporários
inseridos num universo tão gigante que mesmo até
ao de nós mais onipotente possa em todo imagina-lo…
talvez somos nada mais, que “lagartas remoendo”
nosso estágio de princípio…

19/06/2012

De Ciranda e um Cirandeiro

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 11:33

Você pode aproveitar uma boa Ciranda nos festejos juninos em qualquer lugar Nordeste a fora… É dança típica brasileira, com maior manifestação no Nordeste, especialmente no litoral. Tem origem secular. É mescla de culturas milenares: ameríndia, africana e europeia. Traz a dança junto com o canto. Sua característica essencial é que pratica-se unicamente em grupo que estará de mãos dadas em forma circular em cadenciado ritmo marcado por instrumento percussivo, geralmente tambor acompanhado de tarol- instrumento este mais recente, moderno. Raro é o participante de “roda de ciranda” que em algum momento gratificante não solte um sorriso, talvez dada simplicidade dos passos, da dança, também simplicidade da melodia que tem pouca variação: contagiante. Mas se simples, não pobre, a Ciranda traz clara estrutura ancestral milenar, impregnada de primitivismo de civilizações que se mesclaram e formaram a Brasileira. Do círculo que se forma numa ciranda, só não entra quem não quer. É manifestação de fortíssimo cunho de identidade cultural das gentes que a vivenciam, haja visto ser praticada há alguns séculos. Sua música traz em letra situações cotidianas da gente que a esculta, que a dança… serve, assim como o Coco de Roda, como crônicas da coletividade que a desenvolve. Da dança circular, provavelmente não há parte do Globo Terrestre em que o ser humano não a faça, especialmente nas formas culturais datadas de forte milenaridade. Na área política-geográfica Pernambucana tida por Zona da Mata, vê-se a magnitude de poetas cirandeiros como José Galdino e João Limoeiro- mestres amadurecidos que impressionam até ao mais leigo e desinteressado observador. Mas dezenas e dezenas são aqueles e aquelas que fazem a ciranda ser para o público um motivo de felicidade. Destes está Belo Cirandeiro (foto-2010), Limoeirense de que não há festejos juninos que possa lhe ignorar. Se você nunca dançou ciranda, falta-lhe uma boa parte de alegria, confraternização com sua coletividade, com sua estação chuvosa que surge, com alimento milenar básico que está em colheita – o milho, falta-lhe um pouco mais de Pernambuco, de Nordeste, de Brasil.

Belo Cirandeiro – na Ruda da Gameleira 2012

Por: Walter Eudes

09/06/2012

E lá vem COCO!!!

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 05:18

 

Nicodemo de Limoeiro


Quem conhece ele bem sabe de seu gosto pelo Coco de Roda, pelo Maracatu, pela Cultura Popular. Nicodemos, ou como é mais chamado, NICODEMO (isso mesmo, sem o “s”) é artista limoeirense dos bons! Estará pelos festejos juninos realizando várias “rodas de coco” em Limoeiro e até em cidade vizinha. Conheça o COCO DA UNIÃO, o grupo de Sr. Nicodemo que é composto de 14 pessoas. A cultura de raiz, cultura popular, folclore, ou como mais se chama essas manifestações típicas da gente mais “de base” da sociedade, é admirável e encantadora! E sempre será arte de resistência de uma gente que não desiste (graças a Deus) em defender sua dignidade de indivíduos criadores, mesmo que haja indicativos sociais-políticos-econômicos que os querem simplesmente servis, sem essa capacidade de produzir cultura que lhes é nata.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.