Página de Walter Eudes

28/11/2013

O futuro chegou… muitos não o veem.

Filed under: Arquivo Geral — waltereudes @ 04:41

(1)Não se imaginava há 30, 40 ou 50 anos atras que poderíamos, enquanto civilização, produzirmos tanto e tanto lixo. O que se produz de lixo diário numa pequena coletividade como Limoeiro-PE é algo inacreditável! Ocorre que quase 70% de todo lixo produzido tem potencial de ser reciclado, mas isto só ocorre em uma ínfima quantidade deste lixo. E se depender da atual configuração política/econômica em Limoeiro, ira demorar muito para se chegar a um termo percentual que nos confira um grau de responsabilidade e dignidade quanto ao que nós mesmo lançamos na natureza de descarte. Porque não há nenhuma política pública à reciclagem, nem mesmo um “plano de estudos” da área. O alento funciona em forma de incrível exceção: são iniciativas individuais de catadores e catadoras que arvoram-se em recolher algum material possível de render-lhes um complemento de renda, para outros é a única fonte de renda monetária. Mas nem os catadores transitando nas portas das pessoas, das lojas e repartições todos os dias comovem alguma atitude de mobilização para à reciclagem, para a ecologia, para a natureza preservada: simplesmente são “seres invisíveis” estes senhores e senhoras que labutam com determinação e certo heroísmo em suas coletas de material reciclável. Fossem percebido como a vanguarda ecológica, de cunho econômico e de visão empreendedora (que de fato os são!), receberiam ao menos um alentoso e respeitoso cumprimento de residentes e logistas por exemplo que, em regra, além de ignorá-los, despejam lixos recicláveis, lixos (limpos), em qualquer horário e dia nas suas calçadas: não dão-se ao trabalho, a maioria dos cidadãos e cidadãs de entregar em mãos algum volume de reciclável que por alguns dias poderia repousar em seus depósitos ou residências. É uma fonte de riqueza desperdiçada, são empregos formais sendo desperdiçados, indo literalmente “pro lixo”. Sofre a natureza, nossos bolsos porque a conta pública de coleta de lixo fica mais cara, e alguns postos de trabalhos não são criados. Mas lá estão em franca resistência alguns catadores e catadoras… não sabemos quais suas necessidades maiores, como poderíamos conferir-lhes algum reconhecimento, algum protecionismo que dinamize suas atividades… uma coisa é certa: não se deve esperar, em breve, que surja alguma ação de onde se espera que surja: dos Poderes Públicos, das constituídas Associações da cidade, como a do Comércio ou de Residentes… porque nem se quer isto é assunto de estudos ou debates, quiça algum projeto para melhorar a qualidade de vida da cidade, de seus habitantes, da natureza… Ah! Também não se espere ações de nenhum dos “grupos ambientalistas” da cidade, pois se depois de mais de 10(dez) anos atuando não puseram este assunto em pauta, não se deve confiar que o façam em futuro breve. E assim, o futuro nos chega com um bom asfalto nas ruas, nossos eletrodomésticos e celulares são ultramodernos, uma frota automobilística dez vezes maior que há poucas décadas… mas quanto ao nosso lixo doméstico, comercial e industrial vai ficando assim mesmo: IRRESPONSAVELMENTE no passado!! Igualzinho há uns 50 (cinquenta) anos atrás.

(2) Ainda tem muita gente que não entendeu, mas quem tem um automóvel hoje tem muitos problemas! Inegável a praticidade, conforto do automóvel, mas é item que é impossível toda pessoa possuir. Diz-se do automóvel particular e diz-se de sua principal função: mobilidade urbana. Locomover-se na vida moderna, na sociedade contemporânea é inegavelmente uma questão imprescindível a uma vida digna, em curtas ou longas distâncias… mas o trânsito tornou-se simplesmente IMPRATICÁVEL nos dias de hoje!! E isto em grandes ou pequenas cidades. Saídas são buscadas em todos os locais e de todos os ângulos… tem-se sido muitas vezes inócuas as ações para melhoria da mobilidade urbana da população. Porém, o que parece ser ruim tornar-se pior quando certa percepção falta à Gestores Públicos (principais autorizados em dinamizar o trânsito, a mobilidade). Curiosamente, algumas das soluções (ou amenizações) passeiam às suas vistas e não as valorizam… uma delas é a bicicleta que em muitos lugares não tem nenhuma proteção, nenhum estímulo. Em Limoeiro tem sido assim, não há nenhuma ação de protecionismo aos ciclistas. Mais!! Não há nem mesmo o respeito a seus direitos, de feita que o que seria um mínimo óbvio está totalmente desapercebido e desinteressado por Poderes Públicos: exemplo maior é a falta de estacionamentos específicos à ciclistas (bicicletários), em locais públicos e privados. Daqui e dali, em raríssima exceção há um bicicletário, mas de tão raro não convém nem citar localização. Escolas, repartições públicas, centro comercial, centros de saúde, rodoviária, etc. não dispõe de um ÓBVIO, tão óbvio que assusta: estacionamento para bicicletas – um meio de incentivar o uso deste transporte saudável, econômico e queridíssimo por boa parte da população de uma pequena cidade que tenha em sua urbanidade o plano mais presente que o laderoso nas vias. Tudo concorre a bicicleta ser o transporte por excelência de Limoeiro-PE, porém, nada em absoluto há décadas lhe é feito em estímulo. Em recente intervenção da Gestão Pública no Centro Comercial, Financeiro e  Administrativo da cidade de Limoeiro, excelente ação legou as motocicletas estacionamento próprio, deixando aos automóveis mais espaços de estacionamento. Ótimo trabalho que a população vê como êxito, às bicicletas porém… nada. Espera-se ansiosamente que se avance no tempo neste quesito em Limoeiro, que se dê o devido respeito aos ciclistas, que se valorize a bicicleta como transporte e como alternativa de transporte ao caos instaurado no trânsito. Quem sabe o calendário não “ande” neste quesito e além de vermos desfilar o último modelo de automóvel nas ruas, possamos ver a bicicleta como opção de mobilidade urbana e não como “veículo sem interesse maior”.                                                Fim

DSC03565

bicicletas nas calçadas

Anúncios

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário, crítica ou sugestão.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: